terça-feira, 17 de julho de 2012

Omegle..conhecer estranhos continua sendo estranho


Antes que perguntem: Wind, você tem fetiche pelo Omegle?

Não seu fulano fajuto. Malditos seres equivocados. Deus sabe como eu os tolero e negligencio a minha paciência ao lidar com tais pessoas.

Nestas férias quando decidi que iria atualizar meu blog, alguns leitores que viram o post sobre o Omegle me pediram para que comentasse mais sobre quem frequenta tal site. Pois bem, visitei alguns dias lá para ver como estava e o resultado não poderia ser diferente. Mas vamos lá:



O sistema de tags

Ok ok, esse foi ponto para o Omegle. O tal sistema de tags (ou filtros, tanto faz) permite que você coloque seus interesses. Ou seja, se você botar “Brasil”, achará pessoas que escreveram a mesma tag, no caso “Brasil”. Mas é claro, como Omegle é Omegle, o sistema logo foi descoberto pela “Horda” (pessoas-com-demasia-de-não-ter-o-que-fazer) e consequentemente fora invadido por este supremo e implacável exército. Eu que só via tarados e outros estranhos do estrangeiro, descobri que no Brasil tem muitos. O Omegle agora também tem um sistema de discussões. Você coloca uma pergunta até dois sujeitos aparecerem e começarem um debate sobre o tema que levantou. Não utilizei muito, no entanto vi conversas realmente interessantes.

“Olá, mulher ou homem?”

“Homem”

Disconnect..

Bando de traiçoeiros. Esse povo deve ouvir “You spin me round” todo o dia.

Por outro lado o sistema de tags é interessante. Achei dezenas de pessoas que adoravam o Brasil e que compartilhavam os mesmos interesses do que os meus. Realmente foi um avanço, porém como ser humano é complicado, tratou logo de poluir isto.

Malditos poluidores.


Os tais pseudo-cults/ pessoas com fobia e random people

O que encontrei nestes dias são uma peculiaridade de pessoas que nunca tinha visto antes no site. Os pseudo-cults são indivíduos que adoram criticar o Omegle ESTANDO NO OMEGLE. Não, é sério, isso é um contraste tão grande que sequer tenho palavras para realizar uma comparação com um absurdo destes. Recentemente venho encontrando dezenas de pessoas que criticam o Omegle porque todos são descarados e que prefere estar fazendo outra coisa do que estar ali. E qual justificativa? Sim ela existe! É o tédio! Oh god. O meu consolo é que isto me ajuda a compreender a diversidade do ser humano.

“Por que os pseudo-cults estão no Omegle? Onde vivem? Por que odeiam o Omegle? Veja sexta à noite no Globo Repórter”.

Algo que venho encontrando muito são pessoas com fobia de Omegle, Internet, fantasmas, Dercy Gonçalves puxando o pé durante a noite e outros. Tudo bem entendo que a Internet transborda de pessoas neuróticas e as meninas tem uma grande dificuldade em lidar com isso. O Omegle é um espaço interessante, todavia não recomendo para alguém que seja fechado e que tem medo de ser vítima de uma pessoa com más intenções. Felizmente nunca passei por uma experiência destas, entretanto é bom deixar claro que o Omegle nunca foi um lugar destinado a pessoas deste tipo e crianças (e a presença destes me traz preocupações). Seja porque sou veterano ou que sei olhar bem os diálogos, nunca cai em nenhuma pegadinha, porém não posso descartar que exista e faço o meu alerta. É, tem que ser responsável.

Agora os random people. Esta espécie 100% aleatória ama, idolatra e tem um grande prazer em fazer piadas estúpidas e escrever letras de músicas mais odiáveis:

“Oi”

“E ai”

“Conhece o Oswaldo?”

“What?”

“Aquele que te comeu em cima do asfalto?”

Malditos piadistas fajutos. Eles ainda ousam furtar as minhas idéias. No Omegle descobri que existem cantores também:

“Oi, tudo bem?”

“Oh, oh, oh
It's magic, you know
Never believe it, it's not so
It's magic, you know
Never believe it, it's not so”

“…”

Fico me perguntando onde este povo quer chegar. Legal. Você fica repetindo as mesmas piadas e as mesmas músicas um dia inteiro. Ok, admito que faço as minhas, porém o que vimos nos dois exemplos acima, são as profundezas abissais da sacanagem.


Homens que procuram desesperadamente mulheres no Omegle

“Oi”

“Idade, nome, homem ou mulher e onde mora?”

“...”

Omegle é um chat anônimo e quem garante que a pessoa do outro lado seja mulher realmente? Esta espécie de sujeitos que frequentam o Omegle normalmente evolui para ser horny man. Porque como no GTA, você não consegue obedecer nem os sinais de trânsito então tem que fazer as coisas mais bizarras do mundo. Ai sim a “Horda” ganha forças. Os “horny men” compõem quase 60% do Omegle e prefiro nem imaginar na solidão que estes pobres seres tem de conviver pelo menos convivem com a solidão. Haha, não teve graça essa. Estes indivíduos são isolados, sendo que consequentemente não são civilizados ainda. De longe você nota um sujeito que quer ficar de “brinks +18” (se é que me entende), ora, afinal alguém que quer saber até o seu nome de fato tem um interesse DESESPERADO em saber quem é. Logicamente quando você fala que é homem, na velocidade da luz, o seu companheiro de conversa se disconecta.

E como diria o Vegeta:

Malditos horny men. Mal posso ver seus movimentos.



Para finalizar, dedico este post à todos aqueles que conheci no Omegle e outros que visitam o meu blog e tem curiosidade em conhecer este estranho mundo no qual as pessoas conversam em anonimato. Sempre que vou ao Omegle ou ao Chatroulette faço as minhas análises e vejo o quanto o ser humano é desinteressante e mal-educado em um espaço que deveria ser de confraternização e troca mútua de informações entre pessoas até de outros países. Só que como a “Horda” sempre está no Omegle. Bem, não podemos fazer muita coisa a não ser repudiar.

See ya!


Leia o primeiro texto sobre o Omegle 

Créditos das imagens por LOLbender.tumblr

PS: Os exemplos que constam neste post são baseados em fatos verídicos.

4 comentários:

  1. Hahahaha. Eu fazia parte dos cantores EM FRANCÊS (Mathieu Chedid - Ma Melodie), mas na maioria das vezes foi um simples: Olá, tudo certo contigo?
    Hoje tem muita gente entrando só para poluir o site mesmo, com piadas tolas ou tweets ridículos.
    Tua amiga e fã do blog (mesmo que os posts demorem um mês para sair).

    Beijos, beijos.
    Eduarda.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Guilherme. Sou obrigada a concordar contigo. Acredite, as mulheres também "correm" de outras mulheres. O tédio é sempre a principal justificativa sobre a permanência em um lugar como o Omegle. Eu também me pergunto: "Por que eu ainda entro lá?!" A resposta é simples: há pessoas interessantes, são uma raridade, mas existem. Os filósofos e estudantes de Direito são os mais abertos a uma boa discussão e sinto simpatia por eles! =)
    PS: entendi a parte dos camundongos sendo observados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha lido.

      E que bom que entendeu, haha.

      Abraços.

      Excluir
  3. Como não ler? É um assunto que me interessa de certa forma. Eu tomei vergonha e me afastei de lá, felizmente. O omegle pode ser bom, mas pode se tornar uma praga. Continue escrevendo, se não for pedir muito...
    Beijão!

    ResponderExcluir