O hábito da leitura

E leitores estereotipados



E hoje vou discutir um assunto que muitos batem na mesma tecla.

Para quem me conhece sabe que tenho uma grande paixão pela leitura. Este post não será um conselho, tampouco um manual de como e o que deve fazer ao adquirir um livro. A literatura é de certo ponto repudiada em nosso país e os dados nos mostram isso. Tudo bem, não precisamos de números estatísticos a fim de realizar afirmações, embora seja importante para fortalecer os argumentos, então basta olhar algumas falas. O “dinheiro no bolso” é uma grande desculpa para alguém não ler, visto que tal atividade parece ficar sempre em segunda opção.

Conversei recentemente com dois colegas, sendo que um mora nos Estados Unidos e outra na Turquia, dois países que possuem a peculiaridade de possuir uma tradição de incentivar aspirantes a escritores. Eu não comparei preços, apenas abri uma questão: por que você lê livros? Para minha surpresa ambos compartilharam quase a mesma resposta: "porque é uma atividade que combina lazer e aprendizado".

Acabei descobrindo que o hábito da leitura é algo tão antigo que consegue atravessar fronteiras tranquilamente, sendo ainda mais fortalecido pela globalização. Ebooks? Interessante, mas há uma grande parcela da população (que aprecia a leitura) no qual prefere sentir o livro em suas mãos. Apesar de tudo, quais são os motivos de nosso país não conseguir superar nossos “hermanos” na leitura. Falta de interesse? Talvez.

E a literatura na escola? O colégio cumpre (ou deveria desempenhar) este papel educacional em nossa sociedade, de mostrar que a literatura seja ela ficcional ou real, é também um meio de comunicação e deveria ter o mesmo impacto que certos programas televisivos, que por sua vez também são formas de comunicação. Irei detalhar. Abrindo aqui um espaço para a famosa frase do jornalista Eduardo Bueno na qual ele cita: “povo que não conhece sua história, está condenado a repeti-la”. Sempre fui um defensor de que os docentes que aplicam tais livros (sim aqueles mesmo de vestibular) na sala de aula deveriam mostrar que o enredo está diretamente relacionado com a história de nosso país. O problema? Muitos dos discentes encaram isso como uma obrigação, algo chato e não como um desafio que deve ser estudado e consolidado. Isso não foi uma crítica aos professores, já que sei que a criação da grade horária não depende de um grupo de docentes, além disso estaria criticando eu próprio praticamente.

Mas vamos mudar de ambiente. Pessoalmente, quando vou a algum shopping, muitas vezes minha primeira parada são nas livrarias. Assim como um atleta que vai para uma loja de esportes escolher sua roupa específica para determinado tipo de esporte, quando você vai adquirir seu livro, tem que ter o cuidado e analisar bem o que quer. Peça recomendações leia as críticas e tudo que explore o máximo para não se decepcionar no final usando a desculpa de que achou a capa bonita. Sei que falei que não daria sugestões, porém é basicamente isso. Onde ler seu livro? Isso é com você.

E como já havia comentado, leitura é algo muito estereotipado. Se você falar que gosta de literatura brasileira, certamente vão achar que você é cult e um revolucionário com tendências comunistas. Para encerrar, em casos mais extremos, usa barba estilo Machado de Assis ou José de Alencar. Agora se você diz que gosta de Harry Potter, Senhor dos Anéis, quadrinhos em geral.. “mas bah, essa pessoa deve ser um(a) nerd espinhudo(a)”. Existem vários tipos e é difícil afirmar que realmente detesta ler. Não estou me referindo somente aos chamados “livros grossos” que ficam na prateleira de enfeite. Sem que nós notemos, os livros definem várias tribos urbanas, agora se isso enriquece nossa identidade, a cultura nacional e de seus habitantes, é outra conversa.

Finalizo este post comentando a resolução de um problema que muitos amigos meus tem. Você possui livros em casa e não pretende usá-los? Venda ou troque em sebos. Talvez com o dinheiro que ganhe, você possa comprar o que queria ou achar algo do seu interesse.

Até mais.

Comments

  1. Obrigado por ter me apresentar seu blog Luiz ou melhor Wind o/

    falando por mim próprio que gosto de ler, é uma questão de hábito, como você falou. Brasil tem a tradição do futebol e carnaval enquanto outros países a leitura.

    Os livros na escola é questão de hábito também, e de preferencia hábito desde cedo. Chegamos em um ponto onde os professores estão tendo que infelizmente, enfiar livros goela abaixo dos alunos.

    ReplyDelete
  2. Grande Pedro. Honrado em ter visitado meu blog ^^

    A questão não é "enfiar livros goela abaixo", afinal tem assuntos que gostamos e outros não, além disso os docentes devem cumprir a grade horária. Mas tudo bem, a vertente não é sobre isso. De qualquer maneira você verá isto no seu curso na universidade.

    Como você falou, é tradição. O Brasil tem esta "dádiva" de ser alegre de uma maneira bastante extravagante, ou relativamente extravagante. Ainda sim acredito que a leitura é algo que tem de ser explorado em nosso país, algo que já é, porém sem muita divulgação. E ai voltamos no contexto "meios de comunicação".

    Abraços.

    ReplyDelete

Post a Comment